:: Alunos •> Banco Alimentar

Alunos:

23ª Campanha do Banco Alimentar

 

Na escola pública ensinamos valores

Nos dias 31 de maio e 1 de junho realizou-se a 23ª campanha de recolha de alimentos para o Banco Alimentar Contra a Fome. Pelo Modelo da Marinha Grande passaram voluntários da Escola Secundária Pinhal do Rei e Escola Nery Capucho.


A campanha de supermercados não deixa ninguém indiferente perante o entusiasmo dos jovens voluntários. Alunos e professores deixam o conforto do seu lar e vão recolher os milhares de sacos com alimentos para quem mais precisa. A vontade de ajudar desinstala quem frequenta a Educação Moral nas escolas públicas. O Bruno dizia que “o Banco Alimentar é importante porque ajuda e está atento a quem mais precisa”.


Para o Jorge o “Banco Alimentar é um socorro”. O Leonardo gostava de ter um saco para recordação porque adorou ser voluntário. O professor Joaquim Lourenço referiu que “na escola pública também se ensinam valores importantes”. O Banco Alimentar é uma Instituição Particular de Solidariedade Social e não tem fins lucrativos.


O trabalho, no âmbito do Banco Alimentar, é um trabalho de voluntários e não depende do Estado nem da Igreja. Quem é interpelado pelos voluntários sente a ternura do convite à partilha. Evitar o desperdício dos alimentos, aproveitar os excedentes de produção e as ofertas de particulares e empresas, fazendo chegar os produtos às pessoas mais carenciadas é o desafio permanente do Banco Alimentar Contra a Fome.


Os alunos da Escola Secundária Pinhal do Rei e o professor de Educação Moral e Religiosa Católica e outros voluntários recolheram os alimentos, durante o fim de semana, no Modelo da Marinha Grande e ao fim do dia carregaram, com alegria, o camião que transportou os produtos para serem armazenados.


A Carolina e a Beatriz já participaram em várias campanhas. No final do dia referiram que ajudar não cansa nem faz mal a ninguém. As pessoas sentem vontade em dar mas também passam por dificuldades. Fiquei chocada quando me disseram que existe fome em algumas casas, referiu uma voluntária. No final de dois dias de intenso trabalho voluntário ficou a promessa de que voltaremos em novembro para a 24ª campanha de recolha de alimentos.

JLourenço